segunda-feira, 28 de março de 2011

Os sujeitos de minha vida...

A princípio o título nada tem a ver com o conteúdo desta postagem, mas tenham paciência que eu chego lá. Nunca fui muito próxima de minha mãe e, confesso, que a cada vez que ela dizia " um dia você será mãe e entenderá" eu me enraivecia.
Ironia: dizia a mesma coisa a minha filha e ainda digo: você é mãe...
Por que será que meu pai jamais dizia isso?
Hoje eu entendo. Meu pai agia, minha mãe, dizia...
Eu sou uma mistura dos dois: ajo e digo...
Minha filha me acha intrometida, que me envolvo em sua vida. E eu pergunto a ela: se sua filha passasse por problemas, honestamente, você ficaria feliz? Não tentaria abrir-lhe os olhos, ajudá-la?
E se você tivesse um sexto sentido aguçado para com ela? Não insistiria?
O que vou dizer, talvez ela entenda, espero que sim...

Minha vida pode ser comparada a uma oração: Houve sujeitos , predicados e complementos...
Vamos falar dos sujeitos?
Sujeito composto-  é o sujeito com mais de um núcleo: ou seja, duas mulheres ou mais... Passei por esta experiência. O interessante é que ele agrega o sujeito oculto ou desinencial. sabem por quê?
Há sempre a não presença dele nos momentos mais especiais ou necessários( por isso o nome oculto);

Desinencial? A NGB assim classifica o oculto. Há no finalzinho do verbo ( a desinência verbal) que aponta o sujeito. Há no SUJEITO oculto a desinência "dedal" : A ALIANÇA...

O sujeito oculto gosta de sempre se mostrar presente, mas nunca estará. Tenta ser um sujeito simples, mas todos percebem que é mentira.
Vivi uma relação assim e me lembro das noites sozinhas, dos finais de semana, das impossiblidades de falar, ouvir a voz, ou seja, vivia sem nenhuma possibilidade de sonhar ou sonhava, SONHAVA...Suas juras, promessas... suas lágrimas, seu romantismo... dizia que músicas o fazia lembrar de nós ( hj gostaria de saber quais eram)...
Como todo sujeito oculto, ele sabia se fazer presente mesmo ausente... e eu...SONHAVA...
 Viver com esse sujeito é ,certeiramente, acabar sozinha, eternamente.Portanto, ser uma ORAÇÃO SEM SUJEITO...

Sujeito indeterminado- Ah! Jamais tive...detesto promiscuidade... sou de um só e basta... Hoje em dia, viver com sujeito indeterminado, além da solidão, do vazio, há o perigo... estou fora.

O que eu busco? Busco aquilo que desejo a você , minha filha: um SUJEITO SIMPLES...
Livre, puro... com um único núcleo: VOCÊ!

Mas mãe, ninguém manda no coração!!!
Hummm... você sempre pode escolher entre ser feliz ou enganar-se... Aliás, a partícula SE, no verbo transitivo INDIRETO, 3a pessoa, aponta para o sujeito INDETERMINADO...
Ah! ... e SE... não, jamais...
Passado é passado...

Somos racionais... a emoção , o tesão vital só deve existir quando você sabe que está sendo respeitada.
De que adianta todo o encanto de uma relação se você não é respeitada? Não há em nossa cultura a possiblidade da bigamia, portanto, somente o homem sai ganhando em uma relação assim.

Fico pensando em minha neta. Será que se ela dissesse a um homem: esperarei por você tantos anos quantos forem necessários, minha filha não se preocuparia? Creio que sim.
Meu filho, se estivesse aqui, diria assim:
_ Mãe, ela é adulta, a vida é dela...
E eu perguntarei a ele  um dia, quando fosse pai:
_ Filho, se sua filha fosse adulta e você a visse sofrendo por alguém que a usou e a usa, você não se preocuparia e tentaria ajudá-la?
Se ele dissesse que não, rogaria a Deus para impedi-lo de ser pai .

Sou assim, minha filha, uma mãe parcialmente igual a minha mãe, pelo menos quando ela dizia:
Um dia você vai ser mãe.

Você já é... e minha neta é linda.
Te amo
Seja feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário